Oito 'modinhas' que surgiram na Internet nos últimos dez anos
08/12/2020 15:28 em Curioso

Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Na última década, muita gente se divertiu com brincadeiras, aplicativos e virais.

Os memes e as "modinhas" na Internet estão cada vez mais sofisticados com o avanço dos aplicativos e redes sociais como WhatsApp, Facebook e Twitter. A partir de 2010, a popularização dos smartphones, das selfies e dos vídeos caseiros contribuíram também para a criação de sucessos virais e “bizarrices” inesquecíveis. É caso da dança do Harlem Shake, do "Gemidão do WhatsApp e do aplicativo Dollify, que virou febre ao permitir a criação de avatares. Na lista a seguir, relembre oito modinhas que surgiram na Internet nos últimos dez anos.

O TechTudo comemora 10 anos em dezembro de 2020! Desde o seu surgimento, em 2010, o site vem descomplicando a tecnologia para você e assim se consolidou como o maior portal de technology news do Brasil, segundo a Comscore. Para comemorar a data, o site lança uma série especial para relembrarmos como a tecnologia evoluiu nesse tempo. E conte com o TT para descobrirmos juntos o que nos aguarda pelos próximos anos!

1. Harlem Shake

Em 2013, o maior fenômeno da Internet foi o Harlem Shake. É difícil encontrar alguém que não lembre dos vídeos de pessoas fantasiadas fazendo danças bizarras no YouTube ao som do hit "Harlem Shake", do artista Baauer. Além dos movimentos frenéticos, os adeptos do meme também faziam movimentos com conotação sexual ao ritmo da batida da música, que mistura hip hop com eletrônica.

Tudo começou com um grupo de skatistas da Austrália, liderados pelo youtuber Filthy Frank, que decidiu gravar um vídeo com a coreografia. O conteúdo viralizou no mundo todo e atualmente tem mais de 60 milhões de visualizações. Para algumas pessoas, a brincadeira não acabou bem. No mesmo ano, na Austrália, um grupo de mineradores foi demitido após publicar no YouTube um vídeo dançando em uma mina. Já na Inglaterra, uma bibliotecária foi demitida depois que um grupo de universitários dançou Harlem Shake em uma biblioteca.

Imagem: Reprodução Youtube

2. Secret

Em 2014, o app Secret se tornou um sucesso por deixar que as pessoas publicassem segredos e confissões sem se identificarem. O programa ainda permitia criar uma rede de contatos do celular e do Facebook para compartilhar posts anonimamente.

No entanto, o serviço, que ficou disponível por apenas 16 meses, foi proibido no Brasil em 2015, após uma decisão judicial considerar o app uma violação à Constituição nacional. Em seguida, o Secret também foi encerrado no mundo todo. Apesar dos rumores de que o serviço poderia voltar após uma reestruturação, até o momento não houve essa confirmação.

Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

3. #10YearsChallenge

Em 2019, o Instagram ficou repleto de fotos de usuários com montagens comparando fotos do presente com registros de dez anos atrás. Essa modinha ficou conhecida como #10YearChallenge (“Desafio dos dez anos”, em tradução livre). A ideia era mostrar, com as fotos e a hashtag, o “antes e depois” das pessoas ao longo de uma década.

A brincadeira atraiu a atenção de vários famosos como a cantora Madonna, as atrizes de Hollywood Reese Witherspoon e Viola Davis, o cantor Thiaguinho e celebridades do futebol, como Neymar, entre outrps. Uma curiosidade é que o desafio fez muitas pessoas buscarem fotos no baú do passado. Na época, segundo dados do Google Trends, houve um aumento significativo na busca por "como recuperar fotos do Orkut".

Foto: Eduardo Manhães/TechTudo

4. Dollify

Uma modinha que também viralizou na Internet no ano passado foi a de postar caricaturas digitais do próprio rosto com o Dollify. O app permite criar imagens de avatares fofos, que trazem as características pessoais de cada um. Disponível para celulares Android, iPhone (iOS) e para computadores, o app gratuito bateu recorde de downloads em 2019 na Google Play Store ficando na frente de aplicativos como WhatsApp, Instagram e YouTube.

A empolgação dos internautas com a possibilidade de criar bonequinhos personalizados para usar como foto de perfil ou apenas se divertir compartilhando nas redes sociais resultou na popularização de outros apps semelhantes. É o caso do iDolly - Avatar Creator e do Character Maker - Doll Avatar.

Foto: Helito Beggiora/TechTudo

5. FaceApp

O aplicativo FaceApp ganhou os holofotes na Internet em 2017, ao permitir que usuários alterassem por meio de uma selfie a aparência do rosto, ficando mais jovens ou mais velhos. As imagens produzidas viralizaram nas redes sociais no mundo inteiro.

O app, que funciona como um editor de foto, também voltou com força durante a quarentena do Covid-19, com filtros que permitem também aparentar o sexo oposto, e no Instagram surgiu a hashtag #FaceAppChallenge. No entanto, desde a sua criação, o FaceApp criou uma série de polêmicas que envolvem a privacidade dos usuários. Por utilizar diversos recursos de Inteligência Artificial, como tecnologia de reconhecimento facial, o serviço é alvo de desconfianças sobre riscos de roubo e compartilhamento de dados de indivíduos. Entretanto, o app segue disponível para baixar na Play Store.

Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

6. Gemidão do ZAP

O "Gemidão do WhatsApp foi uma modinha que ficou conhecida por fazer os amigos passarem vergonha. A pegadinha era enviar uma mensagem de áudio, imagem ou vídeo com o gemido de uma mulher tendo orgasmo, porém, disfarçada de outro assunto. Ao abrir o conteúdo, a pessoa escutava gemidos escandalosos em alto volume. Ou seja, se o alvo da pegadinha não estivesse usando fones de ouvido, todos a sua volta ouviam também.

A brincadeira fez tanto sucesso que viralizou em outras redes sociais, como Twitter e Facebook, em forma de dezenas de memes, virou tatuagem e até piada do Congresso Nacional. Em abril de 2016, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), discursava sobre o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff quando foi interrompido pelo “gemidão” porque alguém que participava do evento caiu da pegadinha. Embora tenha sido lançada em 2016, o auge dessa modinha aconteceu em 2017.

7. Instagram Dix

A moda do Instagram Dix surgiu em 2016 como uma opção para quem não quer se expor na rede e prefere ter uma conta fechada para os mais íntimos. A ideia é criar um perfil fechado, além da conta original, e permitir que apenas os mais íntimos sigam. Os adeptos do Dix são pessoas geralmente que preferem ter um espaço mais reservado para postar selfies divertidas, mais “picantes” ou na balada, por exemplo, ou sem tantos cuidados com a qualidade da imagem como ocorre com as contas oficiais. O próprio nome “dix” é uma gíria da Internet que diz respeito a algo "sem censura", em tradução livre.

8. Pet-shaming

Quem nunca “se derreteu” com fotos de cachorros e gatos na Internet pedindo desculpas por algo errado que fizeram? As imagens ficaram conhecidas como "pet-shaming (animais envergonhados, em tradução livre). Em algumas fotos, os pets aparecem com plaquinhas que dizem o que eles aprontaram. Já outras imagens não têm identificação, mas são tão realistas que parecem que os animais sabem o que fizeram.

O sucesso de memes de animais é inegável, mas os cachorros e gatos são os que dominam a web. A viralização de vídeos de gatos, por exemplo, já foi tema até de uma exposição do Museu da Imagem em Movimento de Nova York, que apresentou em 2016 a mostra “Como os gatos dominam a Internet”.

Foto: Reprodução/Flockr

Por: The Guardian e Moving Images US via TechTudo

 

 

COMENTÁRIOS

      

      

          

PUBLICIDADE