Posso adiar dívidas? Veja ações dos principais bancos para pessoas e empresas
25/03/2020 11:03 em Economia e Negócios

Prédio do Banco do Brasil/ Foto: Adriano Machado/Reuters

Depois de terem várias regras flexibilizadas pelo governo e receberem o desbloqueio de R$ 68 bilhões em seus caixas pelo Banco Central, os principais bancos do país já anunciam medidas para facilitar o crédito aos seus clientes nos próximos meses. A intenção é amenizar a quase encomendada dificuldade financeira por que várias famílias e empresas devem passar enquanto o país se tranca para se proteger do avanço da epidemia de coronavírus.

 

Além de alterações nos horários de funcionamento das agências e fortalecimentos de canais digitais, os cinco principais bancos do país – Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander - já confirmaram medidas de prorrogação de dívidas a seus clientes. São pessoas e empresas que não serão considerados inadimplentes caso façam isso, o que as livra dos processos de negativação do nome a que, em outras situações, esse atraso poderia levar.

Em todos os bancos, entretanto, a prorrogação não é automática e o cliente deve sempre entrar em contato antes para fazer a negociação, por meio dos canais disponibilizados – caso o correntista simplesmente deixe de pagar, sem aviso ou aval da instituição, estará, sim, incorrendo em inadimplência e sujeito à cobrança de juros adicionais e ao envio do CPF para a lista de nomes sujos.

As condições variam um pouco de instituição para instituição, mas, no geral, dão carência de pelo menos 60 dias nas parcelas, abarcam tanto pessoas físicas quanto negócios e exigem que os pagamentos até aqui estejam em dia ou com atrasos muito pequenos, inferiores a um ou dois meses. Em todos os casos, as prorrogações estão sujeitas a aprovação do banco.

É importante ressaltar que, com mais um corte nos juros básicos do país, a Selic, na semana passada, alguns bancos reduziram também as taxas de suas linhas de crédito. Em eventuais renegociações, o cliente deve consultar sua instituição para saber se tem direito a juros mais baixos no novo parcelamento.

O CNN Business procurou os cinco bancos para saber como estão funcionando as prorrogações, para quem vale e como fazer a solicitação. Veja a seguir:

 

Banco do Brasil

Os clientes pessoa física que possuem um empréstimo no BB podem pedir a renegociação para pular as parcelas dos próximos 60 a 180 dias, o que significa de 2 a 6 parcelas jogadas para frente. Para o crédito comum (crédito automatico) o prazo de extensão é de até 60 dias. Para quem recebe salário pelo banco (crédito salário) ou tem um consignado, a prorrogação pode ir até 180 dias.

Em todos os casos, as parcelas puladas são jogadas para o fim do financiamento – quer dizer, se o parcelamento inicial ia até o fim de dezembro, com 60 dias de prorrogação o cliente deixa de pagar as faturas de abril e maio e paga, depois, em janeiro e fevereiro.

Quem está ou ficar no vermelho no cheque especial também pode renegociar o saldo devedor para começar a pagar daqui a 60 dias.

O banco reforçou ainda a frente de renegociação de dívidas. Quem já tem uma linha de crédito e está com as parcelas em dia, mas acha que não vai dar conta, pode solicitar uma renegociação para alongar prazos e reduzir as parcelas – estes clientes poderão ter prazos alongados em até 90 meses (7 anos e meio) e ter carência de até 90 dias para começar a pagar. A renegociação pode ser feita nas agências, terminais de autoatendimento, pelo aplicativo ou pela internet.

Os que já deixaram de pagar as parcelas ou saldo devedor, e estão com a dívida em aberto com os juros correndo, também podem fazer uma renegociação do valor. Nesses caso, o prazo máximo de parcelamento será de 100 meses (8 anos e 4 meses). Para estes, a negociação deve preferencialmente por telefone, ou pela agência. As renegociações estão abertas para pessoas físicas e pessoas jurídicas.

Micro e pequenas empresas com financiamentos e linhas de capital de giro em andamento também podem pedir carência de 60 dias para as duas próximas parcelas.

 

Bradesco

O Bradesco também está aberto a negociações para a prorrogação por 60 dias de vários tipos de dívidas, desde que estejam os pagamentos em dias. O alongamento não é automático e os clientes devem entrar em contato com o banco para isso, mas não é necessário ir à agência – a indicação é usar os canais digitais (aplicativo, chat e internet banking) ou entrar em contato direto com o gerente da conta.

Em página especial sobre coronavírus criada em seu site, o Bradesco explica que clientes com empréstimo, crédito parcelado ou parcelamento de cheque especial poderão adiar os pagamentos em até 90 dias, sob solicitação à instituição – vale para quem está com as parcelas em dia ou com atraso máximo de 59 dias.

Nos créditos consignados, que são descontados diretamente do salário, não há alterações previstas. Clientes que possuem ou querem solicitar outras linhas de empréstimo ou financiamento devem entrar em contato por telefone com a central de atendimento ou sua agência para consultar as condições.

 

Caixa Econômica Federal

Clientes com financiamento imobiliário ou com outros empréstimos têm o direito de pedir uma pausa de até 2 prestações nos pagamentos, que serão empurradas para frente (o financiamento fica dois meses mais longo, ao fim).

No financiamento imobiliário, a solicitação deve ser feita por meio do aplicativo Habitação Caixa, no celular – foi criado um botão especial “solicitar pausa emergencial”, de acordo com a Caixa. Basta clicar e seguir as orientações. Podem pedir a pausa clientes com, no mínimo, 11 parcelas da casa própria pagas e, no máximo, atraso de 20 dias corridos.

No empréstimo pessoal, os clientes interessados devem acessar o site www.caixa.gov.br/caixacomvoce ou entrar contato por meio do Whatsapp no número 0800 726 8068 para so. As condições são válidas para empréstimos com até 19 dias de atraso e pelo menos 11 parcelas pagas.

Faturas do cartão de crédito poderão ser parceladas com juros mais baixos. A solicitação deve ser feita pelo telefone ou pelo aplicativo do cartão.

Empresas com empréstimos e linhas de capital de giro também podem pedir a pausa de duas parcelas nos pagamentos, sem custo adicional, por meio da página www.caixa.gov.br/caixacomvoce.

 

Itaú Unibanco

Clientes com financiamento de imóvel ou de veículo podem pedir ao banco a prorrogação de 60 dias em seus pagamentos. O mesmo vale para outros empréstimos pessoais, além de empresas com alguma linha de capital de giro contratada.

A solicitação deve ser feita por meio da central de atendimento do banco, pelo aplicativo ou pelo internet banking, por meio da opção de “renegociação”, disponível em serviços ou crédito.

De acordo com o Itaú, não há juros adicionais pelo período parado do empréstimo ou financiamento, e as duas parcelas puladas são transferidas para o final do prazo inicialmente estipulado. Em alguns casos, em vez de alongamento do prazo final, pode haver recálculo das parcelas remanescentes e das datas de vencimento para incorporar os valores não pagos durante período de suspensão. Nesses casos, a nova configuração do empréstimo deve ser apresentada antes do fechamento do contrato.

As opções de prorrogação estão disponíveis para os clientes desde 16 de março e podem ser requisitadas até 16 de maio. Elas valem apenas para os clientes que não têm conta em atraso. Para aqueles que estão inadimplentes, a indicação é buscar os canais de renegociação.

 

Santander

Os clientes com empréstimo contratado ou com financiamento imobiliário podem solicitar ao banco o período de suspensão de 60 dias nos pagamentos, sem cobrança de juros adicionais ou de multa. O mesmo vale para pessoas com financiamento imobiliário ou de outros produtos como veículo e estudos, por exemplo. Em todos os casos, o cliente precisa estar com as prestações em dia até aqui.

Em todas as prorrogações, as parcelas subsequentes, a serem retomadas após os 60 dias, serão recalculadas para comportar os juros do período em que não houve pagamentos.

A campanha não vale para novos contratos – ela é aplicável aos empréstimos feitos até o dia 13 de março de 2020. As solicitações devem ser feitas pelo telefone, ou pelas páginas especiais criadas no site do Santander para o período, nos endereços www.santander.com.br/campanhas/santander-te-apoia e www.santander.com.br/carencia-credito.

Empresas também poderão pleitear condições especiais. Elas podem contratar linhas de capital de giro com o primeiro pagamento a ser feito apenas 90 dias à frente – como condição, devem ter vínculo com o Santander, recebendo em uma conta do banco as receitas dos pagamentos feitos em seu negócio por meio de maquininhas de cartão. A maquininha pode ser de qualquer provedora, e não apenas a do Santander (a Getnet).

Os clientes registrados como microempreendedores individuais (MEI) têm direito a isenção da cobrança das taxas bancárias do período (como cestas de serviços, TED e DOC) caso tenha cobranças de serviços como água, luz, gás ou telefonia cadastrados no débito automático. Nesse caso, as taxas bancárias abonadas serão convertidas em créditos para abater parte ou totalidade dessas contas. Não haverá cobranças posteriores por isso.

O prazo para fazer essas solicitações vai até 24 de maio, e as informações e solicitações devem ser verificadas na página www.santander.com.br/campanhas/cuidar.

Fonte: cnnbrasil.com.br

COMENTÁRIOS

      

      

          

PUBLICIDADE